f
  • sociedade secreta
  • o homem do bosque
  • sangue na neve
  •  o visconde que me amava
  • Um Gato de Rua Chamado Bob
  •  O Dominador
  • sedução ao amanhecer
  • a estrela mais brilhante do céu
  • a pousada rose harbor
  • o poder da espada
  • os naufragos
  • entre  o agora e o nunca
  • mel e amendoa
  • puro
  • as feiticeiras de west end
  • a cidade sombria
  • a improvavel jornada
  • emmi e leo

Cinquenta Tons Mais Escuros - E. L. James

Trilogia Erótica: Cinquenta Tons de Cinza

    Alvo de muitas críticas, o livro Cinquenta Tons de Cinza foi colocado como o título mais vendido de 2012 no Brasil. Se observamos os outros volumes dessa trilogia, todos estão entre os cinco mais vendidos. Seja qual for o motivo dessa avalanche de venda e leitura, eu, enquanto blogueira literária, me sinto feliz por saber que ultrapassamos uma barreira ditatorial. Um livro mal escrito, de trama e narrativa fraca, apelativo, imoral, pornográfico, e seja lá qual mais adjetivos muitos se empenharam em utilizar, o que importa é que a liberdade venceu o preconceito. Enfim, apesar da demora, o livro está ai, e quem quer ler, quem não quer, não gosta, não ler. Agora existe a opção, o livre- arbítrio, a escolha. Sendo assim, por curiosidade ou por determinação, eu me vi imbuída em ler o segundo volume desta trilogia que se tornou o assunto entre muitos grupos. Quem ainda não se viu entre amigas comentado sobre esse livro?   
       Muitos dizem, e eu agora, após a leitura, confirmo, que Cinquenta Tons Mais Escuros é considerado um livro mais amadurecido que o primeiro. Alguns problemas foram resolvidos, outros não. A pobreza literária das repetições descontroladas, aqui é mais restrita, apesar das varias entradas triunfantes de “minha deusa interior”, e dos desnecessários, “puta merda”. Outro fator que deixou o livro mais estimulante foi pelo recuo do BDSM, em favor o sexo baunilha apimentado. Mr. Grey se tornou apaixonado e meloso, sem querer esconder suas falhas ele se mostra neste volume um homem fragilizado, e sem hesitação se expõe completamente revelando ao leitor seus segredos mais profundos, o que me deixou emocionada pela forma a qual foi exposto. Ao perceber que tem Christian em suas mãos, Anastácia se torna mais madura e decidida, não recua ao tomar decisões e fazer valer as suas vontades. Apesar de respeitá-lo, mostra que tem personalidade.
       Ainda querendo me valer das comparações com o primeiro volume, neste a trama cria mais expectativas, e por varias ocasiões, nos envolvemos em clima de ansiedade e suspense. Neste livro, entendemos a personalidade Christian Grey, e um dos momentos mais marcantes da narrativa é a consulta com seu psiquiatra, o qual ele expõe todo o caso de seu paciente à Anastácia.
       Para concluir, insisto em dizer que este segundo volume é bem melhor que o primeiro, e deixou vários pontos curiosos para serem discutidos no terceiro volume. Vale também ressaltar que apesar de neste o BDSM não ter tido muito espaço, acredito que no último volume ele volte triunfante bem ao estilo do novo Mr. Grey.